Comunicação

Semana lojista
  • Nova projeção

    Continue lendo
    Clique e leia
  • Vereadora Tânia Larson na diretoria da CDL Joinville

    Continue lendo Clique e leia
  • CDL Timbó visita Prefeitura e Câmara de Vereadores

    Continue lendo Clique e leia
  • CDL Blumenau forma alunos em Iniciação ao Trabalho

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais
Notícias
Veja mais
Blog
  • Ter um negócio é diferente de ter uma marca

    Continue lendo
    Clique e leia
  • Campanha Consumo Azul ganha força no Estado

    Continue lendo Clique e leia
  • Por que falar em biodiversidade se tornou urgente?

    Continue lendo Clique e leia
  • Campanha Dia dos Avós 2019: Quanto mais presentes, melhor.

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais

Nova projeção

Ivan Roberto Tauffer
Presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC)

A liberação dos saques das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que começaram neste mês, aliada a manutenção do corte de juros e a retomada da confiança, estão contribuindo para a melhoria da conjuntura e colaborando para um novo cenário econômico em nosso país. Reflexo destas condições, que possibilitam uma visão positiva para o segundo semestre, é a previsão do governo que aumentou a projeção do crescimento do Produto Interno Bruto de 0,81% para 0,85% em 2019. Um outro fator que leva a uma perspectiva positiva é a estimativa para a inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que passou de 3,8% para 3,6% para este ano. O impacto da liberação de saques do FGTS é a volta do consumidor ao mercado. Uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que os saques das contas do FGTS levarão muitos inadimplentes a regularizem o pagamento de suas contas em atraso. Quase 10 milhões de brasileiros devem usar FGTS para pagar dívidas. A recuperação de crédito ajuda a aquecer a economia, pois após a quitação das dívidas, o consumidor pode fazer novas compras, adquirir bens e serviços e movimentar o comércio. Para continuar este clima de recuperação, é importante que em nível nacional, após a Reforma da Previdência, a Reforma Tributária passe a ser uma das agendas prioritárias no Congresso, gerando, com sua aprovação, um equilíbrio fiscal e um crescimento sustentável para o Brasil.

Continue lendo